Nova Torre de Controle e Centro de Controle da Área Terminal de Galicia. Aeroporto de Santiago
 
Cliente
AENA. Aeropuertos Españoles y Navegación Aérea
A execução orçamental
10,7 milhões de euros
Calendário
2004-2007


DESCRIÇÃO DO PROJETO
A nova torre de controle do aeroporto de Santiago está situada numa posição estratégica entre as instalações de terminais atuais e futuras previstas.
A proposta conjuga os requerimentos de partida em termos de energia solar, programa, localização e geometria específica da nova torre, com uma resposta formal original e representativa, sem comprometer a funcionalidade ou o crescimento futuro das novas instalações.
A nova torre de controle tem de dois corpos distintos, um corpo de escritório que é concebido como um prisma retangular, abrigando programa de escritórios, áreas de descanso e Centro de Controle de Área Terminal (TACC). Este volume está ligado à torre de controle (segundo corpo), cujo eixo está fora do centro respeito ao conjunto, a interseção dos dois edifícios permite criar um hall de entrada em dupla altura, comunicando ambos os corpos de entre as unidades do edifício.
A torre de controle se eleva até situar o solo do fanal, a aproximadamente 46,26 metros acima da rasante do térreo, seis esbeltos muros de concreto branco visto nascem em térreo, e vão aumentando seu canto até chegar à base do fanal, recolhendo também as duas plantas inferiores que sobressaem formando sacadas. A superfície total construída é de aproximadamente 4829,09 m2.
O edifício se resolve com elementos estruturais de concreto armado, estrutura metálica, cimentação profunda (estacas), acabados de concreto branco visto, fanal com vidro estrutural, muros cortinas em fachadas, etc. Instalações de transformadores, grupo eletrógeno, gestão centralizada de iluminado e serviços críticos, proteção contra incêndios com detecção e sistema de extinção com gás, climatização com recuperadores entálpicos, unidades condensadoras e evaporadoras, instalação de pára-raios, redes hidrantes exteriores, entre outras.
AÇÕES DA G.O.C.
As atuações a realizar por G.O.C concretizam-se a dois níveis, um continuado durante toda a execução da obra e outro esporádico em função das necessidades derivadas da dinâmica gerada adaptada ao tipo de construção a executar. Como objetivo fundamental e entre outros temos: exigir e conseguir o nível máximo de qualidade de execução da obra, de acordo com o projeto e suas revisões dentro dos prazos e pressupostos adjudicados.
Este objetivo se alcança aplicando uma séries de atuações, que de forma resumida se centram no estudo e revisão do projeto de execução (memórias, planos, caderno de encargos, cálculos justificativos, orçamento de obra, programação de obra, etc.), insuficiências do projeto, comprovação das unidades do orçamento de execução com revisão de preços e quantidades, norma especificas aplicáveis, etc., redação do plano de controle de qualidade com a estruturação do projeto construtivo, estudo do plano de controle do empreiteiro, plano de controle geométrico quantitativo e econômico, monitoramento e comprovações topográficas e da obra executada, quantificação de medições reais executadas entre outras; vigilância e inspeção de todas as unidades durante a execução desde a recepção dos materiais, provisões, e unidade totalmente rematada e em funcionamento, com um sistema de vigilância e inspeção por técnicos competentes e procedimento prévio estabelecido que garanta a qualidade de execução segundo projeto construtivos, modificações e imprevistos e toda norma de aplicação. Além do anterior e paralelamente realizamos a Assistência Técnica que se requerer.
Destacar que durante a execução da obra e seu final se analisam e revisam os preços contraditórios, atuações de estudo do estado final e liquidação da obra. Sinalar que as atuações englobam a obra civil, edificação e outras unidades previstas no projeto construtivo e toda aquela surgida da necessidade de qualquer imprevisto; além disso, todo resultado ou análise realizada gera documentos específicos, como podem ser relatórios semanais, mensais, informes diários, planilhas de pontos de inspeção, notas técnicas, etc., realizados e vistos por técnicos competentes e especialista a requerimento.